Bolsas de estudo para mães: veja as oportunidades - Partiu Intercâmbio

Mãe pode tudo. Inclusive, ganhar bolsa de estudos e fazer intercâmbio. Nos últimos tempos, tenho recebido muitas dúvidas de mães de todas as idades sobre a possibilidade de fazer intercâmbio e estudar fora tendo filhos (grandes ou pequenos). O mercado de trabalho e academia impõem muitos obstáculos para mulheres com filhos, mas para mostrar que existem bolsas de estudos para mães, resolvi fazer esse post com MUITAS dicas e esclarecimentos.

>>> Como fazer pós-graduação no Exterior

O filho pode acompanhar a mãe durante um intercâmbio?

Em 90% dos casos, sim, filhos podem acompanhar a mãe durante um intercâmbio ou temporada de estudos no Exterior. O único intercâmbio que veta a participação de mães sempre é Au Pair. Porque, afinal de contas, não faz sentido você deixar seu filho no seu país para cuidar do filho dos outros em outro lugar. Fora essa modalidade, não importa o tipo de intercâmbio que a mãe vai fazer, os filhos podem acompanhar. No entanto, é preciso entender alguns detalhes importantes. Seja seu curso curto ou de longa duração, você precisa estar preparada financeiramente para arcar com todas as despesas de levar seu dependente para um intercâmbio. Também é  fundamental refletir sobre qual o melhor tipo de curso para uma criança ou adolescente acompanhar você no caso de um intercâmbio em família. A secretária Suelen de Avelar Faria Alves, de 41 anos, foi com a filha de 12 anos para o intercâmbio para aprender inglês nos Estados Unidos.

Ellen com o certificado do curso de inglês nos EUA

“Fizemos nivelamento quando chegamos e eu acabei caindo no último nível e ela no penúltimo. Optei por ficar na sala com ela porque a Ellen nunca fez curso no Brasil, ensinei ela em casa com gramática e vídeos no YouTube”, conta Suelen. Durante o curso de quatro semanas as duas exercitaram o inglês e conheceram gente do mundo todo. “Foi maravilhoso! Ela voltou tão confiante! Parece outra pessoa! Na nossa sala havia gente da Arábia Saudita, Turquia, Coreia, Venezuela. O tempo todo ela só se comunicava em inglês e participou de muitas atividades na faculdade afiliada ao curso”, conta.

Mas os filhos não podem acompanhar as mães somente em intercâmbios pagos. Em muitas bolsas de estudos, especialmente as de maior duração, também é possível levar dependentes. Editais que não permitem isso têm esta cláusula bem especificada e, em via de regra, somente alguns cursos mais curtos e com programação muito intensa vetam que se leve qualquer dependente/acompanhante. Em cursos acadêmicos de longa duração como graduação, mestrado, MBA e doutorado, ao pedir seu visto de estudante você pode solicitar visto para seu cônjuge e dependentes. As regras do visto e a quantia exigida por pessoa variam dependendo do destino e da quantidade de pessoas que vão com você. Então é bom se informar bem antes para botar tudo na ponta do lápis.

>>> Dicas para economizar para fazer intercâmbio

Bolsas de estudos cobrem os custos com dependentes?

Infelizmente, ainda são poucas as bolsas de estudo para mães. Quando eu falo bolsas PARA mães, me refiro a oportunidades com foco específico em mulheres com filhos. No entanto, isso não significa que mães não possam se candidatar para programas de bolsas de estudo dos mais variados e concorridos. Uma coisa que eu vejo muito nas directs do Instagram do Partiu Intercâmbio é medo e insegurança até de tentar se inscrever para as oportunidades pelo fato de ser mãe. Conciliar maternidade e vida acadêmica não deve ser fácil, mas existem muitos exemplos maravilhosos de mulheres quebrando tabus e preconceitos. Maternidade e vida acadêmica podem ser conciliadas, sim.

Antes de mais nada é preciso ter bem claro que ninguém aqui está dizendo que é fácil. Exatamente por isso é muito importante começar a se planejar cedo e também ser muito realista sobre as possibilidades reais de levar seus filhos durante a bolsa de estudos. Afinal, a maioria das oportunidades não cobre custos extra para dependentes e isso pode ser bem complicado quando você vai gastar em outra moeda. Assim, especialmente quando o curso é mais curto e a mudança causaria mais problemas do ganhos para a criança, algumas mães também optam por ir para o Exterior e levarem os filhos para o destino somente nas férias escolares. É uma decisão que cada uma deve tomar levando em conta suas possibilidades financeiras e emocionais e que ninguém tem liberdade de julgar.

bolsas de estudo para maes jacqueline mendes uff bolsa santanter

Jacqueline e Ana na UFF

Afinal, a organização para conseguir levar uma criança junto durante uma bolsa de curta duração é intensa e toma bastante tempo de mães que – normalmente – já estão sobrecarregadas. Esse é o caso da Jacqueline Mendes, de 32 anos, por exemplo. Jacqueline é aluna do curso de políticas públicas da UFF e  mãe da Ana Luísa, de 2 anos. Ana frequenta as salas de aula da mãe desde os cinco meses. Sem uma rede de apoio na cidade onde estuda, Jacqueline precisou unir a maternidade e a vida acadêmica desde sempre. A estudante ganhou uma  bolsa de estudo do Santander para fazer um semestre de intercâmbio na Espanha e Ana Luísa não ir junto nunca foi uma opção. Para viabilizar isso, Jacqueline pesquisou muito e se planejou antes mesmo de se candidatar.

“Antes de me candidatar pensei na estrutura da cidade, se ela teria escola pública pra minha filha,  se os horários da escola eram compatíveis com meus horários, que direitos ela teria no país sendo filha de estudante, quais espaços de lazer para as horas vagas, qual a qualidade de vida com pouco dinheiro, uma vez que a bolsa não cobre os custos da criança”, explica. As bolsas do Santander, são apenas uma ajuda de custo para os selecionados e não cobrem todo o valor necessário para passar um semestre fora. Assim, o planejamento financeiro tem sido fundamental para mãe e filha embarquem para a Espanha. “Comecei a juntar dinheiro e promover ações para conseguir o valor necessário para levar minha filha. Fiz bazar de roupas usadas, venda de doces, bingo, rifa, e também uma vaquinha para conseguir juntar o necessário”, relata a mãe.

 

As melhores opções de bolsas de estudo para mães

Para evitar esse tipo de sufoco, as melhores opções de bolsas de estudo para mães são, com certeza, as que oferecem adicional para que se leve a família. No entanto, bolsas de estudo deste tipo são mais concorridas e privilegiam, na maioria das vezes, quem já está em bem estágios mais avançados da carreira profissional ou acadêmica. O único programa focado em mães (que eu conheço, se vocês souberem de outros, por favor, falem nos comentários) é o programa Viva Seu Sonho. Este programa oferece bolsas de mil a 10 mil dólares para mulheres chefes de família que queiram fazer graduação ou aperfeiçoamento profissional no Exterior ou em seus países. Aperfeiçoamento profissional, inclusive, é uma ótima opção para mães porque, no geral, são programas mais curtos.

As bolsas de mestrado do DAAD na Alemanha, por exemplo, não oferecem adicional para mãe com filhos. No entanto, o governo alemão oferece ajuda de custo para mulheres com filhos e o DAAD na Alemanha oferece suporte para que as mães deem entrada neste tipo de benefício quando estão no país. Não dá para dizer que as bolsas de estudo do DAAD são especificamente bolsas para mães, mas enquanto fiz meu mestrado em comunicação na Alemanha, tive três colegas de curso que eram bolsistas e mães, duas delas eram inclusive mães solteiras. Todas levaram seus filhos pra Alemanha e fizeram seus mestrados na Alemanha lindas e arrasantes.

O programa Gates Cambrigde Scholarship dá bolsas de mestrado e doutorado na Universidade de Cambridge, na Inglaterra, e dá adicional para candidatos que têm família. O único ponto crítico desse programa é que ele une a Universidade de Cambridge, uma das mais importantes universidades do mundo, com uma bolsa rica oferecida pelo Bill Gates. Então, é só ligar as pontas para entender que esse é um programa que exige inglês fluente afiadíssimo, excelência acadêmica e currículo invejável.

Em via de regra, programas de doutorado pleno no Exterior, por serem programas de longa duração (duram, pelo menos, quatro anos), sempre incluem adicional para quem leva cônjuge ou dependentes. Afinal, é mais que compreensível você querer levar sua família junto em um programa tão comprido. Alguns programas conhecidos de doutorado pleno que dão adicional são os programas da Fulbright de doutorado nos EUA, do DAAD de doutorado na Alemanha e os programas da Capes e Cnpq (aparentemente mortos e enterrados pelo governo atual).

Outra ótima opção para quem tem filhos é o programa German Chancellor Fellowship. A bolsa para passar um ano na Alemanha fazendo pesquisa na sua área profissional exige apenas a graduação completa, proficiência em inglês e dá benefícios maiores para quem tem família.

Obviamente essas bolsas não esgotam as possibilidades de bolsas de estudo para mães no Exterior. Elas são apenas uma amostra para deixar bem claro que maternidade e vida acadêmica não precisam estar separadas. Para que a situação para outras mães seja menos complexa no futuro, ainda são necessárias diversas políticas públicas e também mudanças de comportamento na sociedade – menos julgamento e mais acolhimento! – que ajudem a incluir mães em programas de desenvolvimento acadêmico e profissional. Espero que essa esse texto encoraje mais mães a seguirem seus sonhos e podem esperar que o Partiu Intercâmbio vai ter mais histórias de mães arrasando pelo mundo muito em breve.

Todas as bolsas de estudos

Ah, toda terça-feira tem vídeo novo no nosso canal no YouTubeAssina aí pra não perder nadinha. A gente também está no Instagram, no Flipboard, no Twitter e no Linkedin. Nesses canais, eu falo mais sobre como ganhar bolsa para fazer intercâmbio, como fazer carta de motivação e mais um monte de coisas. Obviamente, eu também respondo dúvidas. Só deixar elas aqui nos comentários do post. Já quem quer receber e-mail alertando de novas bolsas pode se inscrever na nossa newsletter. Pra saber mais sobre a Bruna e o Partiu Intercâmbio é só acessar esse post.

COMENTÁRIOS

2 respostas para “Bolsas de estudos para mães e dicas de intercâmbio para quem tem filhos”

  1. Faby disse:

    Infelizmente ter filho, fecha muitas portas pra quem deseja estudar e trabalhar fora do país. Deveriam levar em conta, que uma mulher com filho consequentemente torna-se mais responsável, mas eles não querem nem saber. Uma pena !

  2. Gostei muito desse texto e acho muito pertinente esse assunto. Desisti de fazer mestrado no Brasil porque passo na prova, mostro que tenho capacidade para o programa, mas na hora da entrevista o fato de trabalhar e ter filho parece um estorvo. Lamentável. Acho difícil conciliar vida acadêmica com a maternidade, mas não impossível. Ser mãe é um privilégio que te deixa ainda mais responsável. Não deveria ser um problema. Mas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.