Quanto custa estudar na Itália: universidades públicas e privadas

quanto custa estudar na Itália

Cursar algumas das melhores universidades italianas pode ser mais barato do que se imagina. Mas, quanto custa estudar na Itália exatamente? É sobre isso que vamos falar neste post!

Bolsas na Itália

A Itália tem 61 universidades públicas, 30 universidades particulares e 11 entes públicos de pesquisa. As principais instituições públicas do país são conhecidas pela excelência e contam com uma grande estrutura, como a Universidade de Bolonha e Universidade de Pádua. Há também universidades privadas italianas muito conceituadas em várias áreas de estudo, a exemplo da prestigiada Bocconi e da Universidade Luiss (aqui tem um ranking recente das instituições de ensino da Itália).

Além disso, em ambos os tipos de universidades, estatais e particulares, atualmente existem vários cursos “internacionalizados”, ou seja, com disciplinas em inglês. Enfim, faz sentido, portanto, investir no sonho de fazer faculdade ou pós-graduação por lá – e não só porque o país tem cidades e paisagens maravilhosas ou porque você vai comer muito bem (isso eu garanto!).

A gente já tem um artigo cheio de informações sobre como estudar em uma universidade italiana. Neste aqui vamos tirar dúvidas para que você possa saber quanto custa estudar na Itália e se planejar financeiramente para isso.

>>> Como conseguir bolsa para estudar na Itália

Quanto custa estudar na Itália: o sistema de “tasse” e “contributi”

No sistema de ensino italiano (e no europeu, em geral), diferentemente dos valores de “mensalidade” que normalmente temos aqui no Brasil, são estabelecidas taxas anuais de matrícula nos cursos de ensino superior.

Então, se você quer saber quanto custa estudar na Itália, vai ter que considerar o que as universidades chamam, em italiano, de “tasse”, “contributi” ou “contribuzione”. Esses são os valores anuais cobrados para os cursos.

>>> Veja bolsas para fazer faculdade na Itália

Em via de regra, apesar dos processos de inscrição e matrícula serem diferente para estrangeiros (na verdade, para quem tem diploma não italiano), essas taxas não costumam variar em função da nacionalidade do estudante.

Isso significa que, normalmente, não há diferença no preço das taxas universitárias para europeus ou não europeus, italianos ou não italianos. O que pode mudar são os descontos aplicados e as ofertas de bolsas.

Quanto custa estudar na Itália em universidades públicas?

Outra informação importante para quem está pesquisando quanto custa estudar na Itália é que as universidades públicas não são gratuitas. Isso é, na verdade, bem comum na tanto na Europa e quanto nos EUA.

Mas ela pode ser, sim, gratuita. Como assim? Acontece que, para os italianos, o valor vai depender da renda familiar. Então,  quem comprovar não ter condições financeiras, pode acabar não tendo que pagar nada mesmo.

Bom, de qualquer modo, as próprias universidades públicas estabelecem os valores das taxas, de acordo com o que recebem de recursos do governo. Uma das normas que devem seguir é que o custo da contribuição dos estudantes não pode exceder 20% do financiamento do Estado.

>>> Origini Italia: programa dá bolsas para curso e estágio na Itália

Contudo, outra coisa essencial para se saber sobre quanto custo estudar na Itália: não há preços fixos, pois os valores determinados pelas instituições são, na verdade, o máximo que um estudante poderá pagar. Isso porque, como falamos, os alunos pagam a universidade pública de acordo com a sua renda familiar e, por isso, existem várias faixas de preço.

Funciona da seguinte forma: o estudante italiano apresenta o ISEE (Indicatore della situazione economica equivalente), ou seja a renda anual do núcleo familiar, e com base nisso será calculado o desconto que ele terá. Se a família tiver uma boa condição e uma renda maior que “x” (de acordo com as regras da instituição), ele vai pagar o valor integral, por exemplo.

Além disso, muitas universidades do país também prevêem descontos relacionados ao desempenho dos estudantes nos cursos. Em algumas, existe também diferença entre o valor do primeiro ano de estudo e os consecutivos.

>>> Bolsas para mestrado na Itália

Como são essas taxas universitárias?

Dito tudo isso, para se ter uma noção de quanto custa estudar na Itália em uma universidade pública, agora vamos falar de valores. Seja graduação que no mestrado, as taxas universitárias anuais costumam ficar, no geral, entre 2 mil e 3 mil euros.

Considere, porém, que há instituições que custam menos e outras que custam mais e também que, além de variar conforme a renda e a universidade, o valor também depende do curso. Na área da medicina, odontologia, conservação de bens culturais e outras, eles podem custar mais do que 5 mil euros por ano.

Já quem faz doutorado nas universidades públicas italianas deve pagar apenas uma taxa regional, que podemos chamar de valor simbólico, pois custa em torno de 160 euros anuais. O valor pode mudar de um ano para o outro, mas sempre fica em torno desse montante. As vagas para doutorado nas universidades estatais costumam ser bem restritas para cada departamento. Contudo, boa parte delas prevê bolsas de estudo – algumas até específicas para estrangeiros.

Os chamados cursos “master”, que seriam tipo a nossa pós ou uma especialização de um ano, não entram nessa mesma lógica. Os valores são definidos pelas universidades e variam de acordo com o curso e são altos: podem variar de 3 mil a 15 mil euros, na Universidade de Bolonha, por exemplo.

>>> Bolsa para mestrado em economia e ciência do café na Itália

E se você não for cidadão italiano?

Como falamos, não costumam existir taxas diferentes ou específicas para quem não tem cidadania italiana ou europeia. O que de fato acontece é que os cidadãos italianos têm acesso a uma maior quantidade de vagas nas universidades. Além disso, o número de isenções para estrangeiros pode ser limitado, dependendo da instituição. Mas, esses descontos também existem!

Ah, mas os estudantes estrangeiros não tem o tal do ISEE, né? Ainda assim, normalmente, as universidades públicas italianas também oferecem redução de taxas para não italianos que tenham uma renda familiar baixa.

Para conseguir pagar um valor reduzido, o candidato terá que apresentar os documentos solicitados pela instituição para comprovação da sua renda familiar – que não vai ser o ISEE, mas o equivalente no seu país.

Abaixo, dois exemplos de universidades e suas taxas anuais (máximas) para ilustrar quanto custa estudar na Itália. Vale notar que cada uma estabelece os seus critérios:

Universidade de Bolonha

  • Corsi di Laurea (graduação): 2.040 euros
  • Corsi di Laurea Magistrale (mestrado): 2.550 euros
  • Corsi di Laurea Ciclo Unico (standard): 2.244 euros
  • Mestrado em Biotecnologias Farmacêuticas: 2.907 euros
  • Mestrado em Conservação e Restauro de Bens Culturais: 5.910 euros
  • Dottorati di ricerca (doutorado): 157,64 euros (de acordo com o último edital)

Sobre as taxas universitárias para 2020/2021: aqui

Universidade de Pádua

  • Cursos do Grupo A (Humanístico): 2.509 euros
  • Cursos do Grupo B (Científico): 2.602 euros
  • Cursos do Grupo C (Medicina Veterinária, Geologia): 2.712 euros
  • Dottorati di ricerca (doutorado): 187,00 euros (de acordo com o último edital)

Sobre as taxas universitárias 2019/2020: aqui

Quanto custa estudar na Itália em universidades privadas?

No país, há também boas opções de universidades privadas. No entanto, a situação é, claramente, bem diferente. Quanto custa estudar na Itália em instituições não estatais?

Bom, os preços costumam variar bastante, dependendo do curso e da universidade. A título de exemplo, na Universidade Bocconi, muito prestigiada no mundo dos negócios, a taxa anual para os cursos de graduação é de 13 mil euros , mestrado 14.073 euros e de doutorado 10 mil euros (beeem mais salgado, né?). Já na Universidade de Roma LUMSA, o valor da graduação, do mestrado é de 6.200 mil euros anuais e do doutorado de 15.343.28 euros anuais.

Como vocês podem imaginar, o custo de um master nessas universidades também é bem elevado, podendo facilmente chegar a 15 mil euros. para um ano de estudos

Entretanto, vale notar que essas duas universidades, assim como outras particulares na Itália, também têm isenções baseadas na situação econômica e no mérito do estudante.

Mas, tem bolsa para estudar na Itália?

Tem, sim, senhor! Não podemos deixar de mencionar que existem muitos programas voltados a estudantes internacionais que dão bolsas para estudar na Itália sem pagar nada – e até recebendo subsídio para as despesas.

Estão todas aqui no buscador do Partiu Intercâmbio. Já adianto que há muitas iniciativas das próprias universidades (particulares e públicas), alguns exemplos: Universidade de Bolonha, Universidade de Turim, Bocconi, LUISS (mas tem muito mais, viu?).

Existe também o tão amado programa de bolsas MAECI, do governo italiano. O edital abre anualmente e contempla estudantes brasileiros. Outro programa que contempla várias áreas e instituições é o Invest Your Talent in Italy (IYT). Ele prevê isenção ou redução de taxas, orientação, suporte e auxílio mensal.

Todas as bolsas abertas

Toda terça-feira tem vídeo novo no nosso canal no YouTube. Assina aí pra não perder nadinha. A gente também está no Instagram, no Flipboard e no Twitter. Nesses canais, eu falo mais sobre como ganhar bolsa para fazer intercâmbio, como fazer carta de motivação e mais um monte de coisas. Obviamente, eu também respondo dúvidas. Só deixar elas aqui nos comentários do post. Já quem quer receber e-mail alertando de novas bolsas pode se inscrever na nossa newsletter. Pra saber mais sobre a Bruna e o Partiu Intercâmbio é só acessar esse post. Os apoiadores do Partiu Intercâmbio recebem alertas de bolsas de estudos segmentados e dicas exclusivas no Whatsapp e também por e-mail. A gente também presta consultoria para quem quer estudar no Exterior e você pode pedir um orçamento sem compromisso.

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

livros amazon paratiu intercambio