Relato sobre intercâmbio na Colômbia: "para aprender uma língua basta se esforçar

Início » intercâmbio » Um relato sobre intercâmbio na Colômbia: “para aprender uma língua basta se esforçar”

relato de intercâmbio na colômbia

Muita gente sempre escreve com medo de ir para um país sem saber a língua local. E, certamente, embarcar num intercâmbio sem conhecimento da língua é um grande desafio. A Amanda Lais Pereira Noleto, de 25 anos, viu na dificuldade uma oportunidade e partiu para a Colômbia para passar seis meses mesmo sem nunca ter tido aulas de espanhol. Ela está lá com uma bolsa oferecida pela universidade e garante que com foco e esforço tem como conseguir qualquer objetivo. Confiram aí o relato sobre intercâmbio na Colômbia:

relato sobre intercâmbio na colômbia

“Eu sempre quis fazer intercâmbio, era uma paixão que eu tinha desde muito nova e eu nem consigo lembrar agora quando essa paixão começou. Nunca tinha escolhido um destino ou o período que queria viajar, e confesso, nunca tinha ido atrás de editais de intercâmbio. Até pouco tempo atrás a única certeza que eu tinha era que queria fazer um, mas não tinha realizado nenhuma ação pra isso.

Tudo mudou quando comecei a acompanhar os editais de intercâmbio que eram divulgados no site da minha universidade, Universidade Federal do Piauí (Ufpi), e essa é uma dica que eu dou para quem tem esse mesmo sonho: acompanhem sempre os editais publicados pela área de relações internacionais da suas universidades e os sites que tratam disso.

relato de intercâmbio na colômbia

Em setembro do ano passado me inscrevi numa seleção de intercâmbio realizado através de uma parceria entre a minha Universidade e Universidades da Colômbia. Esse mesmo edital (BRACOL – Brasil x Colômbia) foi divulgado em muitas outras universidades do Brasil e essa parceria pretende continuar por mais alguns anos. Então mais uma dica: se você tem interesse em fazer intercâmbio na Colômbia, procure estar atento a publicação do Edital BRACOL.

Fui aprovada na seleção e vim para cá no final do mês de Janeiro. O intercâmbio tem a duração de seis meses e oferece hospedagem e todas as refeições (café, almoço e jantar) todos os dias da semana, exceto aos domingo. Não existe uma bolsa em dinheiro, mas acredito que por oferecer alimentação e hospedagem, já faz toda a diferença.

>>> Encontre bolsas para fazer mobilidade acadêmica
>>> Como fazer intercâmbio durante a faculdade? Entenda a mobilidade acadêmica

Estou morando em casa de família junto com outra brasileira, minha a Chris e na frente da nossa casa também tem outra brasileira, a Gabi. Nós três fomos selecionadas pelo mesmo edital e somos de Universidades diferentes, Chris é da Universidade Federal de Lavras (UFLA) e a Gabi é da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). No meu edital não especificava exatamente qual seria o alojamento, mas sempre quis ficar em casa de família, porque acredito que é uma excelente maneira de conhecer mais sobre a rotina e os costumes do lugar. Estou adorando a experiência de ter uma “nova” família.

Esse edital só dá a opção de vim para Colômbia, mas pra mim já foi lucro porque nunca havia escolhido um lugar específico, só tinha a certeza que precisava sair de casa e conhecer o mundo e não me arrependo nem um segundo de ter vindo para cá. A Colômbia é linda, as pessoas são super amáveis, adoram festa e são muito muito muito carinhosas. Fico por aqui até Julho, quando regresso para o meu Estado, mas já digo para quem quiser ouvir: se pudesse, ficava por mais tempo, porque a Colômbia é simplesmente encantadora.

relato de intercâmbio na colômbia

Sou estudante de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, desde 2009 (explico: nesse enorme intervalo de tempo já “peguei” duas greves e já tranquei um ano para trabalhar). Escolhi esse curso muito cedo e sempre corri atrás de novas experiências, sempre que posso me inscrevo em cursos e seleções, porque sou defensora da máxima: toda experiência é bem-vinda.

Para quem tem esse sonho de fazer um intercâmbio, aconselho que corra mesmo atrás! Observe sites de viagem, busque editais, converse com pessoas que já conseguiram e nunca nunca desista, mesmo que pareça impossível

relato de intercâmbio na Colômbia

Eu não sabia falar muito o espanhol, que é a língua oficial aqui na Colômbia, mas não foi uma barreira não, com pouco tempo de convivência você já começa a falar bem. É super tranquilo, basta se esforçar um pouquinho 😉 Depois de conseguir esse intercâmbio, não quero mais parar! É uma experiência tão gostosa que você não quer mais parar! Quero ganhar o mundo! Esse é só o primeiro de muitos sonhos!”

COMENTÁRIOS

  • Eleonardo Souza

    Ola, tudo bem?
    Meu nome e Eleonardo e estou aprendendo a falar espanhol com muita força de vontade.
    Gostaria muito poder ter alguém com quem falar diariamente ou semanalmente, eu adoraria poder aprender um pouco mais de uma cultura espana. Quem puder me ajudar basta mandar convite no meu facebook; eleonardo da silva souza ou zap 55-81-9-8513-2215

  • Preciso muito de um intercambio como esse para aprender espanhol!

  • Renata Mariano

    Que legal o relato! Gostei muito! Há possibilidade de trabalho durante o período do intercâmbio?
    Muitíssimo obrigado por compartilhar sua experiência!

  • Gabriel L Marx

    Parabéns pelo texto. Fui intercambista na Colômbia no mesmo período que você esteve por lá. Sou da Universidade Federal do Rio Grande(FURG), minha hospedagem também foi em casa de família, porém na região de Boyaca, mais especificamente na cidade de Tunja.
    Ler o seu texto me trouxe boas recordações dessa maravilhosa experiência que vivi neste lindo país, espero poder voltar quando me formar e reencontrar os grandes amigos que fiz por lá.

    • Renata Mariano

      Que massa Gabriel! Sabe se é possível trabalhar por lá durante o intercâmbio?

  • Pingback: Bolsa para fazer Ensino Médio na América Latina recebe inscrições()

  • Samia Beatriz

    Amanda Nolêto arrasando como sempre. Parabéns pelo conquista e fico morta de inveja (inveja branca rsrs) quando vejo tuas fotos no insta! Bj e tudo de bom!

  • Anna Paula Oliveira Mendes

    Ver a Colômbia sendo noticiada sem estar vinculada à violência ou às drogas é sempre um imenso prazer. Também fiz meu intercâmbio no país e é mesmo como dizem: “o perigo é você querer ficar”. Grande beijo!

  • Somário de Oliveira França

    Muito bom Amanda! Eu também sou bolsista BRACOL pela UFPI. Realmente é uma experiência maravilhosa. A Colômbia me surpreendeu muito e pretendo voltar depois da minha graduação para conhecer melhor os pontos turísticos e talvez um mestrado. Eu estudo na UPTC (Univerdidad Pedagógica y tecnologia de Colombia) e também não sabia falar em espanhol quando cheguei aqui, mas agora consigo me comunicar e entender todas as pessoas. Recomendo a experiência para todos! 🙂

    • Renata Mariano

      Que legal! Sabe se é possível trabalhar por lá durante o intercâmbio?

      • Somário de Oliveira França

        Olha Renata, quando chegamos la na universidade a assessora internacional nos informou que não poderíamos trabalhar porque o convenio firmado entre as universidades não possibilitaria isso, mais para a imigração colombiana se você for com visto de estudante e outros, acho que não tem problema. A questão de proibir mesmo era apenas do programa BRACOL que não permitia.
        Em 11 de maio de 2016 13:29, Disqus escreveu:

        • Renata Mariano

          Obrigado pela resposta Somário!
          Fui selecionada para o programa e para UPTC também! 🙂 Muitas dúvidas…
          A universidade concede algum tipo de bolsa, além da moradia e alimentação?
          Obrigadooo!

          • Somário de Oliveira França

            Entre em contato comigo pelo face ou por e-mail que eu posso tirar algumas duvidas suas. (y) Somário França

            Em 26 de maio de 2016 16:21, Disqus escreveu: