Bolsas de intercâmbio para jornalistas nos EUA com tudo pago!

 

O ICFJ, International Center for Journalists, está com inscrições abertas para seu programa de intercâmbio para jornalistas, o A Digital Path to Entrepreneurship and Innovation for Latin America, um programa profissionalizante que seleciona jovens jornalistas para participarem de um treinamento de seis semanas nos EUA.

Bolsas para os EUA

Desde 2015, o ICFJ, com financiamento do Departamento de Estado dos EUA, levou mais de 80 jornalistas, empreendedores e especialistas em mídias digitais para passarem por treinamento e experiência profissional em organizações midiáticas em todos os EUA, tais como o LA Times, Splash Media e Huffington Post. O objetivo é que os participantes retornem para seus países de origem com o conhecimento necessário para lançarem ou desenvolverem produtos de mídia digitais mais sustentáveis e com maior alcance social.

>>>Como conseguir uma bolsa para estudar nos EUA?

Como vai ser o programa em 2020?

O programa de 2020 já está com inscrições abertas, e o deadline é até 30 de Novembro de 2019. Este ano, o ICFJ irá selecionar 36 novos bolsistas de 12 países: Argentina, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá e Peru.

>>>Como ganhar uma bolsa de estudos para fazer intercâmbio?

Os selecionados participam de um programa de seis semanas nos EUA. Durante a semana inicial, fazem um treinamento em Washington, D.C. Após isso, passam quatro semanas em alguma empresa de mídia selecionada pelo ICFJ, onde também terão a oportunidade de ficar na casa de moradores locais e ter uma imersão na cultura norte-americana. A semana final se passa novamente em Washington, onde os bolsistas irão participar do Professional Fellows Congress, que reúne ex-bolsistas do mundo todo para um discussão de como melhorar seus projetos.

Como se inscrever e o que a bolsa cobre?

Os selecionados tem TODOS os custos cobertos pelo programa: taxa para retirada do Visto, passagem, acomodação, alimentação, etc. Então essa é uma bolsa completa mesmo. Se você for escolhido, não vai gastar nenhum centavo para participar do programa.

O processo de inscrição é simples. Basta entrar no formulário no site e preencher os campos. No formulário, no entanto, você precisará enviar alguns documentos importantes, tais como: biografia, CV, uma redação de 500 palavras porque quer participar do programa, uma redação de 250-500 palavras onde você explica em quais projetos gostaria de trabalhar durante o programa, contatos para 2 pessoas que possam escrever cartas de recomendação, e links ou uploads de duas matérias recentes nas quais você tenha trabalhado.

>>>Mitos sobre fazer faculdade nos EUA?

Vale lembrar que todo o material tem que ser enviado em inglês, e que, como o programa é todo em inglês, é necessário ser fluente na língua para poder participar. Após a seleção inicial, os candidatos pré-selecionados irão participar de uma entrevista em inglês. Além disso, só pode se candidatar quem tem entre 25 e 40 anos.

 

Maiores informações sobre o Programa

Formulário de Inscrição

Perguntas Frequentes

 

Todas as Bolsas

 

Toda terça-feira tem vídeo novo no nosso canal no YouTubeAssina aí pra não perder nadinha. A gente também está no Instagram, no Flipboard e no Twitter. Nesses canais, eu falo mais sobre como ganhar bolsa para fazer intercâmbio, como fazer carta de motivação e mais um monte de coisas. Obviamente, eu também respondo dúvidas. Só deixar elas aqui nos comentários do post. Já quem quer receber e-mail alertando de novas bolsas pode se inscrever na nossa newsletter. Pra saber mais sobre a Bruna e o Partiu Intercâmbio é só acessar esse post. Os apoiadores do Partiu Intercâmbio recebem alertas de bolsas de estudos segmentados e dicas exclusivas no Whatsapp e também por e-mail. A gente também presta consultoria para quem quer estudar no Exterior e você pode pedir um orçamento sem compromisso.

COMENTÁRIOS

Uma resposta para “Programa nos EUA dá intercâmbio para jornalistas com tudo pago”

  1. Bruna,

    essas 2 pessoas que possam escrever cartas de recomendação seriam pessoas que trabalharam comigo ou poderia ser professores? Fiquei sem entender.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.