Um ano de Partiu Intercâmbio e a arte de criar oportunidades

Ilustração: Caio Ramos

As oportunidades quase sempre estão ali na nossa frente. O importante é manter os olhos bem aberto para enxergá-las (Ilustração: Caio Ramos)

Esse site fez um ano em março de 2014 e a coisa esteve tão corrida com Berlinale, provas, trabalhos do mestrado e trabalho que nem parei para comemorar. Sei que isso aqui não bem meu diário pessoal, a ideia não é sair contando a minha vida neste espaço, mas esses mais de 365 dias de Partiu Intercâmbio significam taaaaanto pra mim que eu precisei vir aqui e abrir o coração. Desculpem! 🙂

Eu sempre fui daquelas pessoas avoadas, completamente perdidas e sonhadoras talvez até demais, mas se tem uma coisa que nunca me faltou na vida é entusiasmo. Um entusiasmo (quase desesperado, eu diria) pela vida e pelas coisas.  Um rapaz aí  – de quem eu muito gostei um dia – me disse: “nunca vi tanta vontade de viver em uma pessoa. É ao mesmo tempo lindo e assustador.” Eu nunca esqueci. Assim, não foi surpresa nenhuma eu ter abraçado a ideia com tudo quando, lá no fim de 2010, meus chefes da época me perguntaram se eu toparia fazer um blog pra contar das minhas experiências de intercâmbio. Eu abracei e levei a sério. UM BLOG. Mais um blog no meio de tantos outros que a empresa tinha no ar. A empreitada tinha tudo para acabar no limbo, como boa parte dos blogs acaba caindo mesmo.

Pra um monte de gente, eu era só mais uma “guria da internet” fazendo uma coisa que ninguém sério e jornalista de verdade faria. Mas pra mim, aquilo era uma oportunidade de falar para um monte de gente sobre algo que vai bem além de aprender um idioma ou conhecer novas culturas: pra mim, era uma oportunidade de tentar convencer o mundo de que sonhos são realizáveis. A ideia foi para frente e, além do blog, eu ganhei um espaço no jornal impresso. Uma vez ou outra, eu devo ter brincado com a minha editora: “tá sobrando espaço no impresso? onde já se viu EU assinando coluna? O mundo tá perdido.” Ela ria e sempre arrumava um tempo para ouvir as minhas ideias. Eu só me dei conta que aquilo tudo era sério mesmo quando, numa época turbulenta e de indefinições, meu chefe me deu um dia por semana para me dedicar exclusivamente “pros intercâmbios”.

“Amaral, tu vai fazer bem seja lá o que tu escolher fazer. Tu só precisa escolher, te focar. Se teu foco são os intercâmbios, eu te dou um dia por semana pra fazer só isso”, me disse ele. Acho que essa foi uma das coisas mais legais que alguém já fez por mim na vida profissional. Vocês aí devem estar pensando: ai óbvio, a empresa também ia ganhar com isso, não tem nada demais no que esse cara aí fez. Não tem? mas TEM, sim! Jornalismo não é bem assim um meio onde todo mundo é sempre legal com todo mundo ou no qual é normal as pessoas chegarem pra você e perguntarem: “diz aí, o que vai te fazer feliz e a gente dá um jeito de você fazer isso”. Para um monte de gente, o tal do blog era uma bobagem e nada mais que um outro tipo de coluna social. Mas eu levei a sério e sei o quanto sou sortuda por um dia ter tido alguém me chefiando que viu potencial no “que me fazia feliz”. Sem essa pessoa que achava meu entusiasmo bonito – não assustador – talvez eu nunca tivesse levado essa ideia adiante. Talvez eu tivesse deixado a correria da vida real me atropelar e nunca tivesse visto potencial naquilo que me fazia feliz.

Por isso que quando eu sumo daqui por uns dias, sempre lembro do Pedro e me prometo um dia por semana só pra organizar minha “coisa dos intercâmbios”. Pra mim, 2014 começou agora em abril com o semestre de verão e a finalização de tudo que iniciou em 2013. Dar a atenção merecida para esse site e pra vocês que me escrevem está no meu top 3 de prioridades pro ano, podem ter certeza. Nunca jamais na vida eu achei que um dia eu seria a autora de um site que recebe mais de 30 mil visitas por mês. Gente, nem nos tempos de assalariada de grande empresa – com um grande portal hospedando minhas maluquices – eu conseguia manter uma média dessas. Hoje, mesmo nos meses em que quase não posto, esses números são atingidos e ultrapassados. Vocês não sabem como é gratificante e não sabem como receber os emails e ouvir as histórias de vocês me enche de alegria (mas lembrem sempre, Bruna não dá bolsas de estudos, esse poder eu AINDA não tenho 😉 tudo que se lê aqui é fruto de muita pesquisa e dedicação ao assunto. SÓ isso). Sem exagero, eu vibro com cada conquista, com cada história de vocês (que eu fico sabendo) e, se eu puder dar só uma dica, é a mesma de sempre: não desistam.

Nem todas as oportunidades que a gente têm na vida dependem de sorte. Sorte sempre ajuda, claro, mas 90% do que acontece com a gente depende de saber enxergar e, mais do que isso, criar oportunidades onde elas não existem. Então, a única coisa que eu queria dizer neste post, que tá quase um cartão de Natal :P, é o seguinte: sonhem, acreditem, insistam e, acima de tudo, botem entusiasmo no que vocês acham que vale a pena. Se isso for assustador pra alguns, é problema deles. Nunca é tarde demais pra se reinventar e começar de novo. Dá medo, mas enche a vida de… VIDA.

Feliz aniversário pro Partiu, muitos anos de vida, intercâmbios e viagens e meu muito obrigada gigante pra um monte de gente especial como mãe, pai, Diego, Adri, Pedro, Vera, Caio e mais um tantão de gente que não dá pra citar aqui – ou esse vai ser o post mais bizarro da história – mas que, de um jeito ou de outro, sempre apoiou e me incentivou a tocar essa minha “coisa dos intercâmbios”. As frases tão ficando compridas demais (ninguém vai entender hehe), então, vou resumir: OBRIGADA pela confiança, a gente se vê por aqui.

Todas as bolsas abertas

_________

Mais uma vez a ilustração do post é do queridíssimo Caio Ramos. Esse ilustrador talentoso e meu amigo se ofereceu para emprestar a lindeza dos trabalhos dele para o Partiu Intercâmbio! Sempre vão ter imagens pensadas pros textos divulgados aqui. Mais trabalhos do Caio vocês encontram aqui e aqui. Prestigiem.

 

Ah, toda terça-feira tem vídeo novo no nosso canal no YouTubeAssina aí pra não perder nadinha. A gente também está no Instagram, no Flipboard e no Twitter. Nesses canais, eu falo mais sobre como ganhar bolsa para fazer intercâmbio, como fazer carta de motivação e mais um monte de coisas. Obviamente, eu também respondo dúvidas. Só deixar elas aqui nos comentários do post. Já quem quer receber e-mail alertando de novas bolsas pode se inscrever na nossa newsletter. Pra saber mais sobre a Bruna e o Partiu Intercâmbio é só acessar esse post.

COMENTÁRIOS

2 respostas para “Um ano de Partiu Intercâmbio e a arte de criar oportunidades”

  1. Cristiane Abreu disse:

    Bruna, a gente é que tem que te agradecer por esse blog! Eu só comecei a “criar oportunidades” depois que te ouvi falar com tanto entusiasmo sobre isso. Tu me faz acreditar que é possível. E, sim, está sendo possível. Em agosto to indo para o meu segundo intercâmbio com bolsa, coisa que antes eu pensava ser irrealizável

  2. Vera Galante disse:

    Bruna, poucas vezes vi uma pessoa tão focada — se isso foi por causa dos conselhos do Pedro, não sei. O que sei é que você sempre me impressionou pela sua determinação e seu entusiasmo por tudo o que faz. Admiro muito você e quero ser igualzinha quando eu crescer.

    Me sinto muito privilegiada por ter a oportunidade de conhecer tantos jovens por causa de meu trabalho. Mas todos eles viram meio filhos e me dão muitas alegrias. Você é uma que além de alegrias, me dá orgulho. Você sabe aproveitar todas as oportunidades que a vida te dá, mas acima de tudo você sabe criar oportunidades — isso é para poucos.

    Se não fosse seu entusiasmo, o blog não teria o sucesso que tem. Cada post parece o primeiro (sim, eu leio) e isso motiva as pessoas a quererem sempre mais. Parabéns para você, parabéns para o blog, e para os seus leitores que sabem onde procurar informação isenta e correta!

    Beijo e sucesso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.