Início » intercâmbio » Relato sobre intercâmbio na China: bolsista do Top China 2014 conta como foi

 

Ana Carolina Melo top china

Desde 2014 eu queria fazer esse post! Aí quando saiu o anúncio da abertura das inscrições para o Top China 2015, que vai dar 100 bolsas para intercâmbio de três semanas na China com tudo pago, tomei vergonha na cara e escrevi pra Ana. A Ana Carolina Melo, moça bonita na Muralha da China na foto acima, é minha amiga é foi um dos 100 selecionados pelo programa em 2014. A gente fez cursinho juntas no ano maluco de 2005 e, uns anos depois, nos juntamos de novo por acaso num curso de francês.

Depois de ter se formado em Biologia, a Ana começou a trabalhar e resolveu que ia estudar Direito. Desde que a gente se conheceu, o grande assunto entre a gente sempre foi viajar e conhecer o mundo. A Ana sempre ria da minha “capacidade de ganhar bolsas” e do meu vício em ervilhas, além disso, ela vivia fazendo piada de que era muito “velha” pra ganhar bolsa de estudos. Até que um belo dia, no ano passado, ela começa a postar fotos na China e me conta que ganhou a bolsa porque viu um post aqui no Partiu 🙂

Eu que não sou boba nem nada, disse que ia “cobrar” um post dela por conta disso. Mas como nem sempre a coisa é fácil, fui deixando passar. Agora que as inscrições pro Top China abriram novamente, me senti na obrigação de pedir para ela um relato sobre intercâmbio na China. A Ana conta pra vocês como é a seleção e como o programa Top China funciona, prestem atenção:

“Acompanho o trabalho da Bruna divulgando oportunidades de intercâmbio desde que ela começou (desde os tempos de française francesa). Quando bati o olho no post do Partiu Intercâmbio sobre o Top China, cismei que iria participar. Dito e feito. Era o programa perfeito: um país que nunca tinha visitado, cultura diferente, tema na minha área de estudos e, principalmente, por um curto período (que se encaixaria nas minhas férias do trabalho). Não à toa exatamente essas informações encabeçaram a minha carta de motivação no processo seletivo.

Ana Carolina Melo Top China Estádio de Pequim
Eu nunca tinha feito intercâmbio de estudos antes, apesar de já ter viajado um bocado e ter passado, em 2010, três meses nos Estados Unidos num programa de work and travel.  O Top China foi uma experiência incrível. Aliás, as iniciativas do Santander Universidades merecem todos os aplausos possíveis. A seleção foi realizada  por cada Universidade. Na minha, envolveu análise do currículo, carta de motivação, nota do inglês e entrevista.

Na edição de 2014, participaram 100 estudantes de universidades públicas e privadas do Brasil inteiro. Embarcamos dia 16 de Agosto de retornamos para o Brasil dia 8 de Setembro – mas o Top China é normalmente planejado para acontecer no mês de Julho, não prejudicando as aulas (isso se alguém insanamente considerar que intercâmbio prejudique a vida acadêmica, mas isso a Bruna aborda em outro post).

IMG_0791

Cada Universidade selecionou de 2 a 5 estudantes (as vagas são distribuídas pelo Santander Universidades) e também um professor. Nos encontramos num hotel em São Paulo onde ocorreu uma cerimônia de apresentação do programa, entrega de kits, e coquetel. Embarcamos para Dubai, onde fizemos escala por algumas horas e depois chegamos em Xangai. O grupo foi então dividido em dois: um permaneceu ali, assistindo aulas na Shanghai Jiao Tong University e o outro, após três dias, seguiu para Pequim. Nos últimos três dias do programa, o grupo de Xangai foi para Pequim, de onde todos embarcaram para o Brasil. Nesses períodos em que todos os estudantes estavam reunidos (três primeiros dias e três últimos dias), realizamos diversos passeios como visita à Muralha, Cidade Proibida, passeio de barco no rio Huang Pu, Jardim Yuyan, Shanghai Museum etc, além de refeições em restaurantes típicos.

Ana Carolina Melo Top China Relato

Ana, pra variar, fazendo graça, na aula na China 😛

A minha Universidade foi uma das que ficou baseada em Pequim, mais especificamente na Global Village da Peking University. As aulas foram ministradas por professores chineses e pelos professores brasileiros, sempre no contexto do tema de 2015, sustentabilidade. Tivemos, ainda, aulas de cultura chinesa, incluindo mandarim, tai chi chuan, paper cutting e caligrafia. Nos períodos em que não tínhamos aula, era possível explorar a cidade. Houve também um final de semana livre e muitas pessoas se organizaram para visitar Xi’an, onde está o Exército de Terracota.

Sobre a alimentação, tínhamos o café da manhã disponibilizado pelo hotel e recebemos um cartão da Peking University, desses de identificação do aluno, que funcionava também como cartão de débito em lojas e restaurantes dentro do campus. As opções eram as mais diversas (até mesmo um Subway existia).

Já é lugar comum dizer a importância que a China tem hoje no mundo. Uma das mais antigas civilizações, o país preserva suas tradições mas está fervendo para encarar o futuro. O choque cultural é inevitável. É igualmente difícil acreditar que o céu nublado de Pequim é resultado da poluição. Eu insistia em dizer aos meus colegas que não víamos o sol e que “o dia estava feio” por conta de algum fenômeno meteorológico. Até o dia que fui informada sobre um site que divulga índices sobre a qualidade do ar em Pequim. Também, após uma semana de chuva constante, o céu azul finalmente deu o ar da graça. Era o dia de tirar fotos pois talvez durante a nossa estada, talvez ele não aparecesse novamente.

Incentivo todos a se inscreverem na bolsa Top China. É, sem dúvida, uma experiência incrível e única. Como a Bruna sempre escreve, “só ganha quem tenta, quem se inscreve”. Eu vou continuar seguindo o conselho dela.”

Se você se animou e quer concorrer, confira se a sua universidade é parceira do programa e faça sua inscrição até 29 de março.

 

 

COMENTÁRIOS

  • Juliana

    Eu preciso e quero fazer um intercâmbio para Espanha. Poderia me ajudar?

  • Talita

    Muito legal o relato!
    Eu fui uma das contempladas com a bolsa do Top China esse ano e embarco para lá daqui exatamente 1 mês!! Ansiedade a mil! A minha base também vai ser Pequim, e mal posso esperar por todas as novidades que vou encontrar por lá!! Será q a Ana teria dicas para arrumação das malas? to bem perdida por aqui hehehehe.. beijos!

  • Larissa Bueno

    Olá! Gostaria de saber se você fez uma entrevista como parte da seleção para o intercâmbio. Se sim, como foi?

    • Larissa, na seleção do Santander não tem entrevista. Mas como cada universidade tem edital próprio para enviar seus selecionados, pode ser que eles peçam entrevista, sim.

  • Renato

    Oi, Bruna! Achei muito interessante e útil pra mim! Estou me
    inscrevendo em uma bolsa do Santander e tenho uma dúvida. Será que vc
    pode me ajudar? É quanto ao campo “ano / semestre (atual)”, o que eu
    coloco nele? Obrigado!

    • Renato, o campo é para você preencher em qual ano ou semestre do seu curso na faculdade você está.

      • Renato

        Ali pede um formato XXXX/XX. Estou atualmente no 7º semestre. Como será que coloco isso nesse formato?

  • Pingback: Peking (to be continued) | Catching all the lights:()

  • Pingback: Concurso do Santander vai dar bolsa de estudos na China()