Veja um relato sobre a seleção do Jovens Embaixadores 2015

Início » intercâmbio » Mirian Ferreira faz um relato sobre a seleção do Jovens Embaixadores 2015
mirian ferreira

A Miriam Ferreira, Jovem Embaixadora 2015 (ela é a primeira moça bonita sorridente aqui da foto 🙂 )

Sempre que as inscrições abrem para o concurso Jovens Embaixadores da Embaixada Americana no Brasil, eu faço o maior alarde aqui no blog. Não sei se vocês sabem, essa foi a primeira bolsa de estudos que eu consegui na vida 🙂 isso foi lá em 2003, quando eu tinha só 16 anos e era uma guria cabeluda no Ensino Médio. Como eu morro de carinho pelo programa, que leva jovens de escola pública para passarem três semanas nos Estados Unidos, eu me sinto no dever de fazer muuuuita propaganda aqui no Partiu. Afinal, quanto mais gente souber, melhor! Todo ano inclusive, tento entrar em contato com algum jovem selecionado e peço um relato sobre a seleção do Jovens Embaixadores ou umas palavrinhas sobre como foi o programa. Para minha surpresa, em 2015, uma Jovem Embaixadora de Santos, São Paulo, a Mirian Ferreira, de 17 anos, se adiantou e fez questão de entrar em contato comigo.

 

A Mirian me mandou um e-mail todo querido para me contar que ela se inscreveu no Jovens Embaixadores depois de entrar aqui no blog, ler o meu relato e de outros JEs <3 Eu fico sempre doida de alegria quando recebo este tipo de mensagem. Não tem nada mais legal que saber que uma coisinha pequena que a gente fez/disse ajudou alguém a ir atrás dos seus sonhos. Muito obrigada pelo e-mail, Miriam! E vocês, confiram o relato dela sobre como foi a seleção e quem sabe vocês não se inspiram para se inscrever na próxima edição e, em 2016, vão ser vocês passando frio e aprendendo muito, nos Estados Unidos.

 

 

“Sempre quis fazer intercâmbio mas nunca tive condições financeiras. Por isso, há anos venho pesquisando por blogs e páginas na internet como eu poderia fazer um intercâmbio e, principalmente, procurava a opinião e relatos de intercambistas sobre todo o processo desde a escolha do local até a viagem de volta. Um mês antes das inscrições para o Jovens Embaixadores começarem, descobri o seu site. Ele me ajudou muito por causa dos seus relatos e também o de outras pessoas.

Já estava com o plano traçado na cabeça e decidida: tentaria tudo o que estivesse ao meu alcance até realizar o sonho de fazer um intercâmbio no exterior. De matéria em matéria, encontrei o seu texto sobre o Jovens Embaixadores e as suas dicas de como entrar no processo, a explicação de como o programa funcionava e tudo mais. Pensei “Vou começar agora a perseguir o meu sonho”. Realmente não esperava ser selecionada, mas estava disposta a enfrentar quantas tentativas fossem necessárias até eu conseguir alguma coisa.

 

almoço

Mirian e outros JEs de São Paulo em um almoço com a Embaixadora e o Cônsul dos EUA no Brasil. Chique, né?

Entrei no Facebook do programa, fiz a pré-inscrição. Nela, você coloca alguns dados e depois vem um resposta por e-mail automático dizendo se você se encaixa nos pré-requisitos do programa. Me inscrevi sem muitas esperanças, queria ver como era e quem sabe já até adquirir alguma experiência para futuras tentativas em outros programas. A segunda fase da inscrição era dividida em várias etapas e pedia contas de luz, comprovantes de renda dos meus pais, cartas de recomendação de um professor e do coordenador de onde eu faço trabalho voluntário, várias perguntas sobre mim, etc. Corri atrás disso tudo e passei para a próxima fase, que era a da prova oral e escrita em um centro binacional na minha cidade.

 

A propósito, meu trabalho voluntário é relacionado à família. Sou membro, há cinco anos, de uma comunidade ligada à igreja chamada Sagrada Família. Na prática, ajudamos famílias com problemas financeiros doando cestas básicas e roupas, damos aconselhamentos para família com problemas de relacionamento entre si, ajudamos jovens com problemas sociais, entre outras coisas.

 

Mirian Ferreira jovens embaixadores 2015

Mirian com os JEs que estão em Seatle, nos EUA

 No dia da prova haviam outros cinco jovens, a maioria deles já fazia inglês há anos e foi ali que eu achei que seria vencida. Um dos garotos era formado em inglês já fazia dois anos. Eu nunca tive oportunidade de fazer um curso de inglês contínuo. Minha madrinha pagou um semestre com aulas 2x por semana em uma escola de idiomas local, mas não pude dar continuidade ao curso. Continuei aprendendo em casa com filmes, artigos, músicas, chats, tudo que encontrasse para aprender inglês. Além disso, também enchia minha professoras de inglês da escola de perguntas.

A prova oral foi  como um debate entre os candidatos e as professoras nos avaliavam. A prova escrita foram várias redações de cunho pessoal. Concluída esta parte, fomos informados que apenas dois jovens teriam suas fichas de avaliação enviadas à Embaixada e teriam suas casas visitadas e fotografadas. Os pais dos dois também passariam por uma entrevista sobre relacionamento com os jovens. Depois de alguns dias, recebi uma ligação querendo marcar a visita. Vibrei! Mal podia acreditar que tinha sido uma dos dois escolhidos da baixada santista inteira: com a visita delas, já estava garantido que a minha ficha seria enviada.

 

Duas pessoas fizeram a visita e, no final, me comunicaram que mesmo que eu não fosse selecionada para o Jovens Embaixadores, eu já tinha vaga garantida no English Immesion Program, em julho. O programa de imersão em inglês tem uma semana de duração e é sempre em algum lugar diferente do país. Só isso já era uma vitória!

 

Jovens Embaixadores 2015 Mirian
Em outubro o anúncio dos 50 Jovens Embaixadores 2015 seria feito. No 36º clique, lá estava meu nome e a minha foto. Era impossível! Eu fiquei tão surpresa que dei um grito, minha mãe veio ver e falou “filha, é você mesmo!”. Saí pulando pela casa. MEU SONHO ESTAVA SE TORNANDO REALIDADE!! Hoje vejo que muitas vezes o maior obstáculo à minha frente não eram as dificuldades de conseguir documentos ou os outros candidatos, mas eu mesma, que muitas vezes era minha maior inimiga, por não acreditar que eu seria capaz.

 

A admissão nesse programa me trouxe auto estima, força para encarar os desafios e a certeza de que nada é impossível para quem quer e quem sonha com determinação e coração aberto. Sei que existem muitos outros jovens por aí que também se encaixam no programa e não foram selecionados, mas sei também que tudo é uma questão de não desistir e correr atrás.

 

Muito obrigada por ter criado este site e por compartilhar suas experiências. Digamos que eu tenha sido a única dos 50 JEs que ficou sabendo pelo seu site, olha só quantas pessoas você atingiu: abriu uma porta para algo que vai mudar minha vida e, através de mim, inspirou e inspirará muitos jovens a perseguirem seus sonhos e acreditarem no seu potencial. Sempre que eu conto a minha história, falo do seu site porque a realização do meu sonho nasceu naquela postagem.”

 

Muito obrigada digo eu, Mirian! Muito sucesso aí nos EUA e que esse seja o primeiro de muitos intercâmbios na sua vida 🙂

 

As inscrições pro programa de 2016 devem abrir lá por maio de 2016 (aqui tem mais sobre como funciona e quem pode participar). Para saber a data exata, é só ficar ligado no Facebook oficial do programa e aqui no Partiu Intercâmbio, óbvio 🙂

COMENTÁRIOS

13 respostas para “Mirian Ferreira faz um relato sobre a seleção do Jovens Embaixadores 2015”

  1. Junior disse:

    Oiiie Bruna, acho que seria MUUUUITO viavel se você recolhesse mais informações com outros JE’s , a respeito das perguntas da prova oral e escrita, pra que possamos nos preparar melhor, principalmente a autoconfiança!!! Seu blog esta me ajudando muito!

  2. Gabriel Passos disse:

    Olá, gostaria de saber como são as provas? Farei-as na semana que vem, como que são as perguntas? O que pedem de “competências e habilidades”?

  3. Bel Santos disse:

    olá Bruna……só uma pergunta…..as provas escrita e oral são em português ou em inglês?

  4. Priscila Carreiro disse:

    Olá Bruna! Inscrevi meu filho e gostaria de algumas dicas quanto a etapa escrita e oral. Pode me manda dicas e informações? Obrigado

    • Priscila, infelizmente, eu sou da turma “muito velha” do JE. Não sei como são as provas hoje. Posso perguntar pra alguém das turmas mais novas por dicas. Mas eu me prepararia pra escrever redação e tentaria conversar bastante em inglês antes da prova. Não deve ser nenhum bicho de sete cabeças, no entanto. É só estar seguro e calmo que tudo dá certo.

  5. Alessandra Aparecida Ferreira disse:

    Ameei o seu blog e tenho uma dúvida: Se eu não tiver realizado nenhum trabalho voluntário posso participar?

  6. Patricia Faria disse:

    Olá, queria fazer uma pergunta se puder me responder, eu vou me incresver ano que vem em 2016 porém faço 15 anos em Abril
    Tem alguma problema já que as inscrições são em apenas Maio? Ou a cada ano muda o mês de inscrição ?
    Se souber pode por favor me responder

  7. Alice Leão disse:

    Bruna, adorei a matéria. Tenho 15 anos e estou preenchendo a ficha da segunda etapa da primeira fase. São muuuitos documentos e eu já estou ficando perdida, haha. Estava procurando mais informações e alguns relatos, pois sou muito insegura e então achei seu maravilhoso site. Eu ajudava na igreja cuidando de crianças enquanto seus pais estavam na missa, precisei parar pois agora trabalho de menor aprendiz e é complicado. Você acha que tenho chance assim? Help 🙁

  8. Kimberly Lima disse:

    Como participante do Programa na Edição de 2012 e uma das semi finalistas do meu estado é um imenso prazer ouvir relatos e experiencias de uma de varios jovens que realizaram o seu sonho de participar de um intercambio pela Embaixada! Parabens pelo Blog!

  9. Anna disse:

    Nossa que lindo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *