Brasileiros pagam para estudar na Finlândia a partir de 2017

Essa notícia, tá rolando faz um tempinho e ninguém falou do assunto ainda! Infelizmente tenho uma péssima e uma boa notícia: a péssima é Brasileiros pagam para estudar na Finlândia a boa é que isso ocorre só a partir de agosto de 2017 . Em 2015, publiquei várias matérias aqui falando de como o ensino lá é legal, cheio de cursos em inglês e grátis. Inclusive, fiz uma guia detalhado sobre como se inscrever para um mestrado na Finlândia.

>> Veja o que brasileiros que moram na Finlândia falam de estudar por lá

 

Pois bem, alegria de pobre dura pouco. Infelizmente, estudar na Finlândia de graça não vai mais ser para qualquer um. O parlamento finlandês aprovou a cobrança de taxas de estrangeiros que queiram fazer bacharelado ou mestrado na Finlândia em cursos que não sejam em finlandês ou sueco. Uma péssima notícia para quem sonha em estudar no país, eu sei 🙁  A boa notícia é que as taxas só começam a ser cobradas a partir de agosto de 2017. Ou seja, caso você queira estudar por lá, ainda dá tempo. As inscrições para os cursos que aceitam a inscrição conjunta via Study in Finland vão até 27 de janeiro. Outras instituições recebem inscrições até março (eu falo disso melhor neste post aqui).

Estudar na Finlãndia de graça Foto: Riitta Supperi/Keksi/Team Finland

Foto: Riitta Supperi/Keksi/Team Finland

Brasileiros pagam para estudar na Finlândia, mas quanto?

Para estudar na Universidade de Helsinque em 2018, em um mestrado completamente em inglês hoje custa entre 12 e 15 mil euros por ano. Ou seja isso somado ao fato de que o custo de vida na Finlândia é BEM alto comparado com outros países da Europa e isso, acaba com os planos de brasileiros de estudar na Finlândia gastando pouco.

Mas e quanto custa fazer graduação na Finlândia em inglês? Aqui os números também não são nada animadores. Na Aalto University, uma universidade super renomada em áreas como arquitetura, engenharia e inovação, a graduação em inglês não sai por menos de 12 mil euros por ano. Nesta universidade finlandesa os mestrados são ainda mais caros e custam 15 mil por ano.

Só o brasileiros paga pra estudar na Finlândia e isso é pra todos os cursos?

Não. Somente cursos de mestrado e bacharelado em línguas que não sejam finlandês ou sueco serão cobrados caso você não tenha cidadania europeia. Cidadãos europeus continuam estudando de graça por lá, ou seja, brasileiros com cidadania europeia estudam na Finlândia de graça. Os cursos de doutorado na Finlândia também seguem sendo de graça. Quem começar seus estudos antes de agosto de 2017 também não será pego pela nova lei e vai seguir estudando sem ter que pagar as novas taxas anuais.

 

E tem bolsa de estudos para estudar na Finlândia de graça então?

No site do Study in Finland, eles dizem que sim. Existem planos das Universidades e politécnicas de lançarem bolsas de estudos para livrar alunos internacionais da cobrança das taxas. O que não é a situação ideal, mas já mostra disposição das universidades em continuar recebendo gente de fora, apesar das cobranças. Detalhes sobre as bolsas e o tipo de ajuda financeira ainda não foram divulgados. Assim que eu encontrar mais informações, atualizo esse post.

Fiquem ligados aqui no blog! Assim que novidades surgirem, eu vou atualizar vocês sobre o assunto!

Ah, toda terça-feira tem vídeo novo no nosso canal no YouTubeAssina aí pra não perder nadinha. A gente também está no Instagram, no Flipboard e no Twitter. Nesses canais, eu falo mais sobre como ganhar bolsa para fazer intercâmbio, como fazer carta de motivação e mais um monte de coisas. Obviamente, eu também respondo dúvidas. Só deixar elas aqui nos comentários do post 🙂

 

>>> Veja mais posts sobre a Finlândia
>>> Veja nosso guia sobre fazer mestrado no país

COMENTÁRIOS

5 respostas para “Brasileiros pagam para estudar na Finlândia a partir de 2017”

  1. Deuzanira Santos disse:

    Oi Bruna, parabéns pelo blog, certamente ele ajuda muito a orientar quem está buscando uma formação no exterior. Estou procurando curso de doutorado na Europa e fiquei interessadíssima pela Finlândia após seu vídeo (coincidiu com o fato de eu ter acabado de ver no site do CNPq uma chamada pra lá). Trabalho numa instituição pública de pesquisa vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação do Brasil, e atuo na área de gestão/negociação de tecnologias geradas pelo instituto e tenho mestrado em propriedade intelectual, desenvolvimento e inovação. Não vi se você postou vídeo após o retorno da Finlândia com as informações das instituições, mas se tiver algo sobre essa área por favor me envie, ok?

  2. Lorhayne disse:

    socorro! hoje mesmo estava procurando faculdades acessíveis no exterior e achei o seu blog. (que por sinal, você está de parabéns, ótimo conteúdo!) Tenho menos de 10 dias? que loucura! Já tinha visto o site Study in Finland e fiquei maravilhada com o suporte que eles nos dão para ingressar em uma faculdade lá. Fiquei com uma dúvida em relação ao seu post, por exemplo, se eu conseguir me matricular esse ano, em 2017 irão começar as taxas, eu terei que pagar a partir dai ou não? Ainda estou buscando mais informações, mas se souber me responder agradeço.

    um beijão e parabéns pelo lindo trabalho!

  3. Igor Ogawa disse:

    Nossa, que triste! Mas essa coisa de começar os estudos antes de agosto de 2017 é muito complicado, não? Lá, o ano letivo começa no início de setembro, não é? Ou é diferente? Porque, se for assim mesmo, é praticamente impossível começar os estudos antes de agosto (só em 2017 vou ter idade suficiente pra cursar faculdade). Existe alguma maneira de começar os estudos antes de agosto?

    • O problema não é bem a idade. Se você terminar seu processo de inscrição esse ano ainda (alguns processos encerram em janeiro, outros em março), você consegue iniciar as aulas antes de ter que pagar. Alguma universidades também oferecem entrada no semestre de verão (que inicia geralmente em março/abril). Até onde eu sei, não existe idade mínima para fazer faculdade, você precisa ter terminado o Ensino Médio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *