Bolsista dá dicas sobre o processo de seleção Chevening para bolsas de mestrado no Reino Unido

Início » Relatos de intercambistas » Bolsista dá dicas sobre o processo de seleção Chevening para bolsas de mestrado no Reino Unido

As inscrições para as bolsas de mestrado no Reino Unido da Chevening estão abertas até dia 3 de novembro de 2015 e eu prometi que publicaria dois relatos: um de um candidato que está embarcando em breve e outro de um bolsista que está terminando seu curso. Como promessa é dívida, apresento pra vocês o Luís Pedroso, que vai dar valiosas dicas sobre o processo de seleção Chevening.

O Luís é formado em Relações Internacionais na UDF – Centro Universitário do Distrito Federal –  e embarca para o Reino Unido em breve! Para ajudar os leitores do Partiu Intercâmbio, ele enviou um relato super completo sobre a preparação dele para a seleção da bolsa. Ao ler, vocês só vão confirmar aquela teoria de que nada cai do céu: conseguir uma bolsa é trabalho duro e muito preparo.

Um detalhe bacana e que tornam as dicas do Luís ainda mais valiosas é que ele mesmo trabalhou em seleções de candidatos para bolsas na Comissão Fulbright no Brasil. Vale a pena ler o relato sobre a seleção do programa Chevening e ver como uma trajetória de esforços e dedicação dá resultados no final. Confiram, inspirem-se e inscrevam-se no programa:

Luís Pedroso bolsista Chevening 2015

“Logo embarco para o Reino Unido, onde iniciarei o programa de mestrado em defesa e segurança internacional (MSc in International Defence and Security) na Cranfield University, parte da Academia de Defesa do Reino Unido (Defence Academy of the United Kingdom). Graças ao Chevening Scholarship, todos os custos serão cobertos pelo Foreign and Commonwealth Office.

O processo de seleção do Chevening é longo, então paciência não é apenas uma virtude, é fundamental para manter o foco, especialmente quando a universidade que deseja ir exige um projeto de pesquisa para te aceitar. Foi o meu caso. Comecei a me preparar um mês antes da abertura das inscrições: conversei com ex-professores, pesquisei os programas de mestrado que mais me interessavam, estruturei meu projeto de pesquisa e me inscrevi para o TOEFL.

>>> Veja os pré-requisitos e inscreva-se para as bolsas do programa Chevening

Quando as inscrições abriram eu já sabia quais universidades eu iria aplicar e indicar ao Chevening, já tinha toda documentação obrigatória em mãos e pude me dedicar ao application. Lembro que foram diversas informações e quatro perguntas-chave. Eu demorei um mês e meio para respondê-las, as reescrevi umas trinta vezes e não hesito em afirmar que não adianta ter um excelente currículo e responder mal essas quatro perguntas. É ali o espaço para mostrar quem você é, os “porquês” do seu currículo e da sua história e, acima de tudo, indicar que você está trilhando um caminho sólido para ser um líder no futuro.

luis pedroso bolsistas chevening 2015

 

Algumas características se destacam aos olhos do avaliador em um processo de seleção como o do Chevening. Naturalmente apresentar tais características não é garantia alguma, mas dada minha experiência ao lado de grandes profissionais na Fulbright, a participação em comitês de seleção junto a CAPES e minhas observações sobre a seleção da bolsa do progarma Chevening, destaco alguns pontos como:

– Coerência no currículo, na trajetória acadêmica e profissional;
– Foco e clareza nos objetivos e argumentação sobre o interesse no programa;
– Participar de projetos, programas, conselhos formadores de opinião;
– Ter sido um excelente aluno, um excelente funcionário, um excelente colaborador, pois as cartas de recomendação possuem um grande peso.

 

Tenha algumas respostas sempre em mente
Além disso, a resposta para a pergunta “por que mestrado no Reino Unido?” deve estar na ponta da língua! E é importante mostrar que a escolha é bem feita e que não há melhores opções por aqui. Outro ponto que o candidato deve manter em mente é “por que o Reino Unido deve investir na sua educação e como você pretende retribuir?”.  Os selecionados para entrevista devem ser profundos conhecedores do que escreveram no application, pois não lembrar do que você mesmo escreveu pega mal e, com toda a carga de nervosismo, é bem comum isso acontecer se você não estiver preparado, então, releia seu application antes da entrevista.

Ao olhar para trás, hoje vejo que fiz boas escolhas, que valeu a pena estudar para ser o melhor aluno do curso (elogiaram essa menção honrosa na entrevista), ter optado por reduzir em 200% meu salário para estagiar na Embaixada dos EUA, ter me envolvido em projetos de extensão, ter me dedicado tanto ao belo trabalho da Fulbright e ter tratado com tanta seriedade o processo de seleção da bolsa. Construir um perfil de liderança e um currículo competitivo não é fácil, mas a recompensa faz valer a pena, me sinto muito honrado em fazer parte do grupo de Scholars que embarcará nessa jornada.”

 

Se você também quer ser um bolsista da Chevening no Reino Unido, inscreva-se! O programa de bolsas recebe candidaturas até 3 de novembro!

>>> O que precisa para fazer mestrado no Reino Unido?
>>> Encontre um mestrado no Reino Unido

COMENTÁRIOS

4 respostas para “Bolsista dá dicas sobre o processo de seleção Chevening para bolsas de mestrado no Reino Unido”

  1. junior disse:

    Oba, valeu pelo conteudo hein 🙂
    Ancioso por mais… Abraço.

  2. Julyane Dias disse:

    Adorei a reportagem!!!
    Estou me inscrevendo no processo e realmente a parte que estou demorando mais para responder são as perguntas.

    Muito obrigada.

  3. […] >>> Veja o depoimento de um bolsista sobre a seleção do programa Chevening […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *